FIQUE DE OLHO

60% das crianças e adolescentes acessam pelo celular conteúdo adulto violento

  • 18 de setembro 2017
  • por Editor

Mais de um terço das crianças e adolescentes de 3 a 14 anos no Brasil usam smartphones e muitas delas têm acesso a conteúdo que não deveriam acessar. O conteúdo indesejado mais acessado por esta faixa etária é para adultos (59%) e aquele que mostra ou promove violência (36%).

 

 

“O surgimento dos smartphones trouxe informações nas pontas dos dedos para praticamente todo mundo, incluindo as crianças”.
Três em cada cinco brasileiros com menos de 18 anos usam um smartphone, mas apenas 17% dos seus pais usam um aplicativo de controle parental para monitorar o que seus filhos estão fazendo.

 

 

Um terço dos pais entrevistados não sabia que os aplicativos móveis de controle parental existiam e outro terço disse pensar que seus filhos eliminariam o aplicativo se o encontrassem no dispositivo que utilizam.

 

 

 

 

Abaixo está um detalhamento dos conteúdos indesejados acessados pelas crianças e adolescentes, subdivididos a seguir em faixas etárias:

Acessou um site ou aplicativo que continha malware
32% de 3-6 anos
21% de 7-10 anos
17% de 11-14 anos

 

Acessou um site ou aplicativo que continha conteúdo adulto
50% de 3-6 anos
48% de 7-10 anos
69% de 11-14 anos

 

Acessou um site ou aplicativo que mostrou ou promoveu violência
47% de 3-6 anos
43% de 7-10 anos
25% de 11-14 anos

 

Acessou um aplicativo com compras, que resultou numa cobrança em dinheiro
21% de 3-6 anos
17% de 7-10 anos
17% de 11-14 anos

 

As crianças têm uma curiosidade natural, e muitas vezes são ainda mais avançadas e experientes em tecnologia do que seus pais, mas isso não significa que estão emocionalmente prontas para o conteúdo que acessam e vêem.

 

A orientação parental é muito importante. Com a nossa oferta para operadoras, estamos proporcionando uma solução que é integrada aos telefones no nível da operadora, e não pode ser removida por crianças, permitindo que os pais sejam informados sobre as atividades de seus filhos, para intervirem se necessário.

 

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *