Consultório Médico

Saiba se as receitas caseiras para a pele funcionam realmente

  • 11 de junho 2018
  • por Carol

Saiba se as receitas caseiras para a pele funcionam realmente, nesta entrevista que a Carol Chab fez com a Dermatologista da Neoderme e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Luz Marina Hannah Grohs.

Aperte o play e ouça a entrevista completa

 

Segundo a dermatologista da Neoderme e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Luz Marina Hannah Grohs, é sempre bom ficar atento às receitas milagrosas que encontramos para a pele, principalmente em sites e redes sociais.

 

“Às vezes, usar um produto que a amiga indicou ou que viu na internet pode causar mais dano do que benefício. Afinal, cada pele tem uma característica peculiar e deve ser analisada por um dermatologista para a escolha do produto correto”, alertou a especialista.

 

Produtos caseiros como limão e vinagre contêm substâncias ácidas e podem causar queimaduras e manchas após exposição solar. Esfoliantes com açúcar e mel, por exemplo, podem agredir a pele do tipo sensível, ou aquela que possui rosácea (doença de pele cujos sintomas envolvem áreas de vermelhidão na pele).

 

Boas indicações

Mas nem tudo que lemos por aí precisa ser descartado. A dermatologista listou algumas receitas caseiras para a pele que podem te ajudar. Confira:

 

 – unhas bonitas: esquente no micro-ondas uma pequena quantidade de óleo de amêndoas doce (aquele usado para aplicar no corpo antes do banho) e mergulhe as unhas das mãos durante 15min por dia. Entre um a dois meses, elas estarão mais fortes e hidratadas;

 

– reduzir bolsas ao redor dos olhos: a dica é fazer chá gelado de camomila e realizar compressa com rodelas de algodão ao redor dos olhos. O gelo age como vasoconstritor, ou seja, atenua o aspecto dos vasos das olheiras, ao passo que a camomila tem efeito calmante, ótima para melhorar a pele;

 

– os benefícios do mel: há milhares de anos o mel vem sendo utilizado como tratamento adjuvante de feridas e úlceras crônicas por ter ação antioxidante (diminui a produção de radicais livres), anti-inflamatória, antibacteriana, além de acidificar a ferida, permitindo uma cicatrização mais rápida. Além disso, tem ação desbridante, ou seja, remove o tecido desvitalizado e permite que surja um tecido vermelho vivo mais brilhante, que auxilia no fechamento da ferida.

 

A médica lembra, porém, que o uso do mel deve passar por um controle sanitário rígido. “A orientação é que o mel passe por um processo de esterilização por raios gama para garantir a sua segurança para uso medicinal. Logo, usar o mel caseiro não é indicado para feridas ou úlceras, e muito menos para fazer esfoliação na pele”, alerta.

 

Óleo de coco para o cabelo funciona?

O tão famoso óleo de coco é amplamente divulgado para a hidratação dos cabelos. No entanto, segundo a especialista, ele pode deixar o cabelo demasiadamente oleoso e pesado, sem produzir hidratação adequada pois não penetra na fibra capilar.

Outro produto utilizado nos cabelos, desta vez para desengordurar os fios, é o vinagre. Porém, de acordo com a doutora, pode ter o efeito inverso, ou seja, ressecar demais o cabelo, danificando e quebrando a fibra capilar.

“O que sempre indicamos é que independente do produto para o cabelo, que ele contenha filtro solar, para evitar a agressão e a perda da vivacidade da cor, além de ativos hidratantes com eficácia comprovada que podem ser manipulados, garantindo um resultado melhor”, indica a dermatologista.

 

Máscaras para o rosto

Existem no mercado muitas opções de máscaras industrializadas para o rosto do tipo detox, matificante (controle de oleosidade), anti-aging (anti-envelhecimento) e clareadoras (uniformizam o tom da pele) e que são seguras para a pele. Mas para sempre garantir a saúde dela, é sempre recomendada uma consulta periódica com um dermatologista.

“O dermatologista é o médico especialista da pele, então, antes de utilizar qualquer produto caseiro, busque a orientação de um profissional para saber seu tipo de pele e se as receitas encontradas por aí são realmente eficazes”, aconselha Luz Marina.

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *