Reportagem

Muro cai em escola de São José dos Pinhais

  • 19 de setembro 2018
  • por Carol

Na tarde de quarta-feira, 19, um muro com mais de 70 metros caiu no Colégio Estadual Tiradentes, em São José dos Pinhais. A solicitação de manutenção do muro aconteceu em julho de 2016, quando a diretora da escola pediu vistoria da Defesa Civil, e foi emitido laudo com a necessidade de reparos. A Prefeitura Municipal alegou responsabilidade do Governo do Estado. E quando este foi notificado, informou que havia planejamento de reforma no valor de R$150.000,00 mas que não foi autorizado pelo dono do imóvel que é alugado. E que por isso a responsabilidade do reparo seria do locador. Nada foi resolvido, e hoje os alunos viram o muro cair.

A diretora do Colégio Regina Lucia Rocha conversou com a Carol Chab no Programa Manhã da Mais

 

 

 

Segundo as informações dos pais dos estudantes do Colégio Tiradentes, que fica na Rua Chapecó, na Borda do Campo, no mesmo lugar tem outro muro em colapso que pode cair a qualquer momento, e mais 4 salas de aula interditadas. Roberto Palú que estava no local disse que a tragédia estava anunciada, mas “ainda bem que ninguém se machucou”.

Em nota enviada para a Rádio Mais o Governo do Estado do Paraná alegou que “A obra em execução no colégio não previa melhorias e reparos no muro em questão. O terreno no qual o muro se encontra é alugado pela Fundação Itaqui e próximo ao local a prefeitura de São José dos Pinhais realiza uma obra, a qual acabou movimentando e prejudicando a fundação do muro. Uma visita técnica do engenheiro do NRE responsável está agendada para amanhã, a fim de verificar a situação.”

 

A Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais emitiu nota na manhã de e informou que “no ano de 2016 a Defesa Civil Municipal já havia comparecido naquele colégio acompanhado de um engenheiro civil, ocasião na qual foi emitido um parecer informando que o muro precisava passar por um manutenção o mais urgente possível pois com o tempo correria o risco de cair se não fossem realizadas as intervenções necessárias. Parecer que foi documentado e protocolado com a direção do Colégio e enviado ao Estado.

Sobre a informação passada pela Fundepar de que “próximo ao local a prefeitura de São José dos Pinhais realiza uma obra, a qual acabou movimentando e prejudicando a fundação do muro”, esta informação é improcedente, uma vez que não há obras vizinhas ao muro e tão pouco movimentação de terra nos arredores do colégio que pudessem comprometer aquela ou outras estruturas.”

 

A defesa civil esteve no local, isolou a área, e agora a população espera uma resposta.

 

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *