Entrevista do dia

Rodas de tricô e crochê exercitam a criatividade e ganham adeptos

  • 06 de dezembro 2018
  • por Hellen Ribaski

 

 

 

Esqueça a visão que você tem da tricoteira ou crocheteira tradicional. A essa imagem, cada vez mais, um exército de pessoas de todas as idades empunhando agulhas está se juntando em grupos de bordado e tricô, inscrevendo-se em aulas e aproveitando as recompensas do renascimento do feito à mão. A Micapullo, armarinho curitibano que nasceu para compartilhar cores e criatividade, está completando 3 anos e irá celebrar no sábado, dia 8 de dezembro, com uma programação repleta de atividades em seu jardim. A Carol Chab entrevistou a Letícia Segalla, criadora do Micapulo Armarinho Criativo.

 

 

 

 

 

Instalada numa simpática casa no Alto da XV, a Micapulo vai reunir clientes e amigos para compartilhar comidinhas, chopp, flash tatoo, exposição de bordados de alunos, roda de samba e muito mais. A programação tem início com sessão de autógrafos com a convidada especial Molla Mills, crocheteira finlandesa, autora do livro “Crochê Moderno”(editado no Brasil), que veio à Curitiba para oficinas a convite da Micapullo. Um grupo está convidado para participar do yarn bombing, um crochê colorido feito coletivamente para a árvore da rua.

 

 

Criado pela jovem empresária Leticia Segalla, a Micapullo é uma loja de armarinhos voltada para o artesanato contemporâneo, aliado ao design e ao compartilhamento de ideias. A curadoria de produtos traz itens importados, ergonômicos, alguns autorais e de origem natural.

 

 

Além das principais tendências do mercado em artigos para crochê, tricô, bordado e outras atividades manuais, no local é possível participar de aulas regulares e conhecer pessoas que desenvolvem suas habilidades em grupo. “Numa época tão virtualmente conectada, dar uma pausa fazendo uma atividade manual é necessário quase meditativo. Sem contar que é gratificante produzir algo com as próprias mãos. As pessoas ficam felizes e orgulhosas”, observa Leticia.

 

 

A Micapullo se encaixa em uma tendência mundial, que conquista mulheres e homens cada vez mais jovens. No Reino Unido uma pesquisa recente aponta um aumento de 12% em mulheres que fazem algum tipo de trabalho manual – crochê, tricê, bordado – como hobby nos últimos dois anos, enquanto 17% dos homens entre os 16 e os 24 anos disseram que gostam de experimentar um destes passatempos.

 

 

O surgimento de plataformas como Pinterest, Instagram e YouTube criou vastas comunidades virtuais de artesãos compartilhando tutoriais, ideias e inspirações. “Usamos muito as redes sociais para divulgar e trocar informações com nossos clientes e estabelecer novos contatos não só em Curitiba como fora daqui”, conta a empresária.

 

 

Além de ponto de compartilhamento, aprendizagem e produtos de armarinhos, o Micapullo estimula as boas práticas. Os artigos vendidos são entregues em sacolas de papel reaproveitadas, doadas pelos próprios clientes. Um selo especial informa o reuso, independente da marca estampada, toda sacola é reutilizada.

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *