Consultório Médico

Espasticidade e rigidez: qual é a diferença?

  • 01 de março 2019
  • por Repórter

(Foto: Reprodução/Pixabay)

 

 

 

Especialista desmistifica o diagnóstico dos sintomas que impactam diretamente o paciente
Embora afetem diretamente os músculos, a espasticidade e a rigidez consistem em diferentes alterações, que envolvem as funcionalidades básicas do corpo, como a movimentação, e podem impactar de maneira negativa a qualidade de vida do paciente. Confira as dicas da fisiatra Dra. Ligia Cattai e saiba diferenciar as condições.

 

A espasticidade é um sintoma causado pela lesão do primeiro neurônio motor que afeta mais de 12 milhões de pessoas por todo o mundo¹. Esses neurônios estão localizados no cérebro e na medula espinhal; a condição não tem cura e se dá a partir de diversos fatores, como AVC (acidente vascular cerebral), traumatismo craniano ou medular, esclerose múltipla em adultos, e paralisia cerebral, em crianças. “Os principais sintomas nesse caso são: contrações involuntárias, clônus, dificuldade para regular os movimentos de pernas, pés e braços e mãos, postura incorreta involuntária e dor ”, conta a médica.

 

 

 

 

 

Já a rigidez muscular, sintoma muito presente na Doença de Parkinson, caracteriza-se pela lentidão de movimentos, como a dificuldade de sair da cadeira, de iniciar o caminhar, dando a impressão ou parecendo que o paciente está “congelado”, devagar, lento. Por vezes, a mobilização passiva de uma articulação deixa transparecer uma resistência que cede ao longo de algumas tentativas, lembrando o movimento irregular da roda dentada de uma engrenagem.

 

COMPARTILHE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *